We Love The: 96’s

Recuperando um pouco de 1996, ano em que fazia 14 anos, talvez tenha sido o ano que encontrei a música como paixão. Na altura, para quem viveu a adolescência nesta fase, sabe que rótulos era o que não faltava. Os “betos”, os “chungas”, os “dread’s”, os “mongos”, os “marrões”, etc., e a música que ouvíamos estava muito associado ao grupo que pertencíamos.

Na realidade, em relação à música, desde miúdo que foi uma paixão. Sempre andei com o meu leitor de cassetes e os meus headphones, de um lado para o outro. Os Onda Choc e Ministares foram muito meus amigos, as banda sonoras de novelas brasileiras (shame on me!), e ainda tive muitas colecções de histórias da Disney com direito a música e tudo. Quem se lembra dessa época, sabe que o acesso a coisas era mais demorado, e com falta de Internet ou TV Cabo, as coisas que chegavam ou eram tarde, ou nem apareciam.

Mas em 1996 o meu despertar para a música foi diferente, na altura já tínhamos CD’s, e o leitor portátil era considerado uma coisa de outro mundo, e as rádios e televisões começaram a mostrar uma maior abertura para o que era música vinda do estrangeiro (pela quantidade), e sentia-mo-nos mais actualizados (mesmo sem Internet!). As festas de anos, começaram a ser mais tarde, uma espécie de matinés e sem os pais em casa. Havia direito a pista de dança, e slows quando estava tudo mais escuro. A adolescência estava com as hormonas nos picos!

Na música, as novidades passavam muito pelo pop rock punk inglês estava muito em alta, mas foi um ano marcado pelo surgimento de uma novidade, que vinha dar que falar. Numa altura em que a pop era dominada por boys band tanto em Inglaterra como nos Estados Unidos da América, surgem as Spice Girls num refresh para o mundo da pop, com sonoridade pop inglesa pura e dura, e com pozinhos de r&b e funk ao de leve que era uma tendência do outro lado do Atlântico.

Por outro lado, os anos noventa ainda eram caracterizados por domínios de grandes nomes da música, ou seja, além de novidades que vinham em dose reduzida (não como hoje), os nomes com carisma e grandes carreiras eram bem aceites e dominavam TOP’s. Não esquecer que no final dos anos noventa também havia o euro dance a dominar as pistas de dance por todo o lado.

Em baixo, relembrem 10 vídeos de músicas que marcaram o ano de 1996, que fizeram parte dos TOP’s, principalmente os europeus e Ingleses. E as saudades que muitos deixam, e que me obrigam a ouvir muitos destes hits ou discografias no meu carro. Sempre que regresso a essa altura, há um arrependimento brutal de não ter guardado mais relíquias desses tempos.

Segue o Charlie na Terra do Nunca em
Facebook | Instagram | Twitter | Pinterest

[Spice Girls – Wannabe]

[The Fugees – Killing Me Softly With His Song]

[George Michael – Fastlove]

[The Prodigy – Breathe]

[Take That – How Deep Is Your Love]

[Oasis – Don’t Look Back In Anger]

[East 17 featuring Gabrielle – If You Ever]

[Jamiroquai – Virtual Insanity]

[Toni Braxton – You’re Makin’ Me High]

[Björk – It’s Oh So Quiet]

Fonte 1 e 2

Follow my blog with Bloglovin

Anúncios

One thought on “We Love The: 96’s

Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: