Bye Bye Bye (or see you soon) New York :: Semana # 04

Quatro semanas que passaram a voar! Parece que foi ontem que estava a fazer as malas e a aterrar pela primeira vez em Nova Iorque. No bolso levo a minha maior aventura profissional (até hoje), e muitas experiências vividas na maior cidade do mundo.

Like a Movie Star

Estar na cidade mais cinegéticas do mundo, na que serviu de inspiração para inúmeras músicas, na que deu lugar a várias séries, só poderia dar frutos na minha veia criativa. Desde do momento que recebi a noticia que vinha para Nova Iorque, sempre quis que esta experiência fosse diferente de todas as outras viagens que tive. Seria uma aprendizagem a todos os níveis, e uma descoberta que poderia dar bastantes frutos no meu regresso. Na realidade não poderia pedir mais … Nova Iorque acolheu-me de braços abertos, e para mim é um até já!

Também conhecida como a “grande maçã”, “a cidade que nunca dorme”, “a capital do mundo”, “a cidade onde são feitos os sonhos”, e podíamos ficar aqui várias horas, porque nenhum destes títulos é suficiente para a descrever esta cidade. Uma coisa é certa, Nova Iorque é sem dúvida uma das cidades mais trends e influentes do mundo, que nos rouba o coração para o bom e para o mau, porque é única com os seus arranha-céus que formam uma incrível skyline, edifícios históricos, parques, museus, galerias, as melhores lojas do mundo, monumentos emblemáticos, pessoas de toda a parte do mundo (de todas as raças e culturas), musicais da Broadway, luz e cor com a publicidade por todo o lado (recordem aqui), os icónicos  táxis amarelos, …

A cada minuto, estima-se que mais de cem línguas diferentes são faladas na Times Square, e eu contribui para isso, estando durante quatro semanas nesta cidade. A experiência foi óptima a todos os níveis, mas deixo uma porta aberta para voltar e viver a cidade em férias e com sol! Esta oportunidade mostrou-me uma cidade diferente para quem cá vive, e como será viver no centro do mundo.

Andar na rua é sempre uma surpresa como já escrevi aqui, e faz-nos parecer que estamos num filme qualquer quer já vimos, ou numa série. Na realidade quando fui ao Central Park pela primeira vez fez-me lembrar rapidamente cenas da série “Angels in America”, passear e andar pelas ruas da zona de Upper East Side só podia fazer achar que estava em pela série “Gossip Girl”, nas  minhas horas de almoço quando andava por SoHo ou Tribeca achava que era uma personagem de “Girls” ou quando passeava pela quinta avenida com o meu café na mãe achava que ia encontrar Carrie Bradshaw do “Sex and the City”.

Charlie-Na-Terra-Do-Nunca-HavasLofts-NewYork-056.jpg

One Open Door

Da lista infinita de coisas para fazer, ficaram por fazer alguns “checks”, porque o que tinha imaginado era mesmo isto, deixar algo para conhecer e descobrir. Nova Iorque estava no meu top de viagens, e fui um felizardo por a poder ter realidade esse sonho desta forma. Apesar de ser um mês, não deu para fazer tudo, uma vez que a lista era quase infinita. Digamos que também havia experiências que quero fazer quando cá voltar, em férias!

Além disso, nesta cidade está sempre tudo a acontecer, sempre novidades e sempre descobertas. Já conheço maior parte dos cantos, e quando cá voltar vou mesmo sentir como um New Yorker.

Charlie as Lofter

Da experiência enquanto Lofter além do que já partilhei (aqui no inicio), além do que posso aplicar profissionalmente no imediato e a curto/médio prazo, levo na mala pessoas super interessantes que conheci. Queria agradecer especialmente à minha  mentora e me ajudou na adaptação, e no desenvolvimento dos meus objectivos. Ela foi muito importante para conhecer bem as diferenças culturais e organizacionais, ao mesmo tempo que deu espaço para me movimentar livremente.

Ainda à equipa que me acolheu (além do trabalho) me terem dado dicas fantásticas sobre a cidade. Por último, mas não menos importante, a toda equipa do programa #HavasLofts do Grupo Havas pela organização deste projecto e de tudo estar 5 estrelas!

Like Frank Sinatra Said!

Não há muito mais a acrescentar, apenas isto para concluir: “If I can make it there, I’ll make it anywhere. It’s up to you, New York, New York!”.

Clap Clap Clap Havas! Obrigado!

Obrigado New York! (Até já!)

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: